O compromisso ambiental da Indústria de Cosméticos

O cuidado com o meio ambiente mobiliza cada vez mais empresas que investem em parcerias para promover a sustentabilidade

Por Fábio Yamamora, CEO da Yamá Cosméticos

A produção da Indústria de Cosméticos está cada vez mais pautada por políticas de responsabilidade com o meio ambiente. É possível que as inovações tecnológicas mais importantes dos próximos anos sejam focadas na sustentabilidade – seja na matéria-prima, maquinário ou distribuição. Contudo, esta não é uma tarefa para o futuro. A indústria é desafiada a implementar medidas de produção que visem a preservação do ecossistema imediatamente.

Neste momento, muitas equipes trabalham para gerar novos protocolos de produção e apresentar novos materiais – e isso é ótimo. Na Yamá Cosméticos, a nossa preocupação com o aperfeiçoamento dos processos de produção é constante. Muitos desafios da transição para o modelo sustentável não precisam de grandes inovações para serem solucionados. Na prática, exigem disposição para mudar e o fortalecimento de parcerias com cooperativas e organizações de proteção ao meio ambiente.

Este foi o caminho escolhido pela Yamá. Para preservar os recursos naturais e incentivar a geração de renda no município de Cotia – onde fica a sede da empresa – realizamos uma parceria com a Coopernova Cotia Recicla, iniciativa de vizinhos preocupados com o meio ambiente, mas que hoje gera empregos para diversas famílias. A cooperativa é responsável em recolher os resíduos recicláveis da fábrica, que já realiza a separação dos materiais para a coleta seletiva.

Em um mês, puderam ser reciclados mais de 2,5 toneladas de plástico. O processo, além de gerar renda para as cooperativas, diminui o impacto da produção sobre a natureza. Outra medida que a Yamá adotou para avançar na questão ambiental é a utilização de material reciclado na fabricação da embalagem dos galões de shampoo. Cerca de 20% do polietileno de alta densidade (PEAD) utilizado para produzir os frascos são provenientes de reciclagem.


É importante lembrar que o trabalho para minimizar os impactos da produção ao meio ambiente é uma função à longo prazo e ininterrupta. Contudo, através de parcerias e uma abordagem coletiva sobre as novas demandas, é possível assumir a tarefa e desenvolver uma nova dinâmica – muito mais engajada com o meio ambiente e com o desenvolvimento econômico e social de projetos, organizações e cooperativas.


Compartilhe: