Novos Pós Descolorantes Platinados e Perolados

Entenda um pouco sobre a evolução dos descolorantes e conheça os novos Pós Descolorantes Platinados e Perolados da Yamá.

Os cabelos loiros ainda são uma preferência nacional – o que faz com que cada vez mais mulheres busquem descolorir os fios para atingir as cores do momento, com destaque para os platinados e os perolados.

Sejam mechas, balayages ou todo o cabelo descolorido, a verdade é que para conseguir um visual atraente é fundamental que o profissional conheça muito bem o pó descolorante que está usando, bem como o cabelo da cliente.

Para lhe ajudar, nós montamos este conteúdo completo, explicando como os pós descolorantes evoluíram, a forma como funcionam atualmente e também as novidades do setor. Confira!

A evolução dos pós descolorantes

As primeiras celebridades a aparecerem com as madeixas mais claras foram as pin-ups da década de 1940, com destaque para a atriz Betty Grable, considerada a namorada dos oficiais da Segunda Guerra. A sua marca característica eram as madeixas loiras e com ondas.

De lá para cá muitas foram as celebridades que marcaram década com o cabelo loiro, como Marylin Monroe, Brigitte Bardot, Madonna, Jennifer Aniston e Gisele Bündchen – fazendo com que essa tonalidade de cabelo passasse a ser desejada por mulheres de todo o mundo.

No começo, porém, deixar as morenas com as madeixas loiras era uma tarefa difícil para os cabeleireiros. Afinal, não existia muita tecnologia para isso. Os oxidantes costumavam ser muito radicais e eram empregados, em geral, em todo o cabelo.

O resultado era muitas dores no couro cabeludo, cheiro forte e desagradável e uma dificuldade enorme para se atingir a cor desejada. As águas oxigenadas de antigamente eram muito concentradas e em minutos a mistura perdia potência, fazendo com que o profissional tivesse que manipular novos blends para não deixar a cliente com o conhecido tom de gema de ovo.

Além disso, era comum que as mulheres saíssem dos salões com o cabelo seco e propenso a queda devido à quebra.

Foi a partir de 1970, que começaram a ser usadas as primeiras toucas para o processo de descoloração. Os descolorantes conseguiam atingir até 3 tons e já contavam com um pouco mais de tecnologia e emolientes, ajudando a tratar os fios.

Mas, foi apenas em 1980 que começaram a surgir produtos para serem usados no papel laminado, dando origem a balayage. Nessa época, os cabeleireiros passaram a usar tonalizantes para cobrir as mechas nas tonalidades que desejavam. De lá para cá muita coisa mudou, e hoje os pós descolorantes são mais seguros e menos agressivos aos fios.

Como o pó descolorante funciona?

O processo de descolorir o cabelo envolve, basicamente, retirar a cor dele. Ou seja, retirar a melanina dos fios – o que é uma tarefa árdua, afinal a melanina fica no córtex capilar, protegido pela película.

Para atingir esse objetivo é preciso usar dois ingredientes: o pó descolorante e a água oxigenada. O pó conta na sua formulação com persulfato, enquanto a água oxigenada tem o peróxido de hidrogênio como base.

Para que a melanina seja retirada, os componentes químicos precisam, primeiro, romper a barreira da cutícula capilar. Algo não muito fácil, já que um cabelo bem tratado costuma ter as cutículas fechadas.

Dessa forma, a água oxigenada ajuda a abrir a cutícula capilar, permitindo que o pó atinja o córtex e solubilize a melanina, finalmente deixando o cabelo descolorido.

Enfraquecimento capilar e a descoloração

Porém, todo esse processo não é perfeito. Isso significa que, ao mesmo tempo em que essas reações agem na melanina, elas também acabam afetando toda a estrutura do fio, inclusive as proteínas da cutícula.

A boa notícia é que os reagentes descolorantes costumam agir mais devagar na proteína do que nas moléculas de melanina, porém não devagar o suficiente para não causar nenhum dano ao fio.

Assim, é muito importante, primeiro, analisar corretamente o cabelo da cliente, garantindo que ele suportará o procedimento. E depois usar pós descolorantes de boa procedência, evitando os danos excessivos ao fio.

Além de tudo isso, outra dica é ficar de olho na volumagem da água oxigenada. Lembrando sempre que, quanto maior for o volume, mais forte será o processo de oxidação e isso significa que o cabelo abrirá mais tons.

Platinados e perolados: conheça os lançamentos da Yamá

Como você viu, a indústria cosmética não para de evoluir. E a Yamá também não! Por isso, apresentamos dois lançamentos imperdíveis em pó descolorante: os platinados e os perolados.

Eles foram desenvolvidos especialmente para os processos de descoloração que buscam atingir essas tonalidades e ainda contam com diferenciais incríveis, como:

  • presença do extrato de pérola que ajuda a atingir a tonalidade específica de platinados ou perolados;
  • componentes específicos que agem neutralizando o amarelo indesejável, promovendo um alto poder de clareamento, com resultados incríveis e sem perfume.

A linha consegue abrir até 9 tons e tem apresentação em embalagens de 20g, 50g e 300g.

Como você viu, os pós descolorantes evoluíram muito – e hoje são opções seguras e interessantes para transformar qualquer morena em uma loira incrível, inclusive com tonalidades de platinados e perolados.

Você gostou deste conteúdo? Então aproveite e conheça mais sobre a novidade em Pós Descolorantes Platinados e Perolados da Yamá!


Compartilhe: